DICAS DE PONTUAÇÃO
25/09/2017
COMO SE MANTER ESCREVENDO
04/10/2017

VEROSSIMILHANÇA DA HISTÓRIA

Bem-vindos, leitores!

 

Nesse post vou dar uma pequena dica de como deixar a história crível (independe se é num mundo mágico com unicórnios e carros voadores) e como fazer isso sem a história ficar chata! XD

Todos os escritores, creio eu, faz alguma espécie de pesquisa (seja lá antes de escrever ou enquanto está escrevendo). Alguns ficam dias e dias pesquisando em detalhes; alguns outros (como eu) simplesmente chegam no google e pesquisam brevemente só o fato que está precisando no parágrafo que está escrevendo.

Mas enfim. Pesquisamos coisinhas para deixar nossa história mais real, mais verossímil.

 

MAS ATENÇÃO!
Você não precisa ter vivido num mundo mágico para escrever sobre um como se ele existisse. E, também, pode acontecer de você ter nascido e crescido num mundo mágico e conseguir escrever um texto totalmente FALSO dele.

Por que isso acontece?

 

Porque num texto, na sua história, você tem que dar SENSAÇÃO DE VERDADE. Com seu ritmo. Com suas palavras. Com a melodia do texto.

 

Sabe as informações que você pesquisou e está louco para vomitar tudo no texto?

CALMA.

Qualquer informação sobre seu mundo (seja ele fictício ou não) deve ser SALPICADO na história… QUANDO VEM AO CASO.

 

Por exemplo, você não pode parar o andamento da sua história para fazer um parágrafo gigante explicando sobre um equipamento X que está no cenário.
CASO ALGUÉM DA HISTÓRIA VÁ INTERAGIR COM ISSO, aí sim explique sobre o equipamento… e SEMPRE EM CONJUNTO COM ACONTECIMENTOS! COM O ANDAMENTO DA HISTÓRIA!

 

“Beltrano agarrou o tambor da arma, desesperado para impedir um tiro. Sentiu o metal querendo girar sob sua mão conforme o atirador puxava o gatilho. Beltrano fez mais força. O cão do revólver recuou, pronto para dar seu golpe na cápsula do projétil. O atirador tentava se desvencilhar. Beltrano, cerrando os dentes, enfiou o dedo no vão entre a cápsula e o cão um instante antes do gatilho ser puxado por completo.
Seu dedo quebrou.
Mas Fulano continuava vivo”.

Deu uma sensaçãozinha de verdade? Mesmo que eu nunca tenha pegado em uma arma na vida? Mesmo que possa ter coisas erradas aí nessa descrição por causa disso? XD

Então. É porque há FATOS SALPICADOS NA AÇÃO.

 

O leitor está mais inclinado a acreditar em você se você não parece que está tentando ENSINAR COISAS A ELE. O leitor veio ver uma narrativa de ficção, então ele está procurando por história. Por acontecimentos. (Se ele quisesse aprender algo, teria ido ler um livro didático).

 

Ou seja, preocupe-se em NÃO ENTEDIAR O LEITOR (regra básica) e dar SENSAÇÃO DE VERDADE ao invés de vomitar informações. Muito detalhezinho vai desacelerar a história… e também tira a liberdade do leitor de imaginar o que quer. De vez em quando, é bom dar só um borrão e deixar que o leitor complete a ideia. ^^ (Porque ele irá completar com o que ele gosta, sente empatia, etc. etc.).

 

Com isso em mente… ARREGACEM DE ESCREVER!!! ESTOU AQUI COM VOCÊS!!!

No próximo post, explicarei COMO SE MANTER ESCREVENDO (eu já fui escritora que largava todas as histórias no capítulo 5… até aprender a me manter escrevendo XDDD).

Fiquem de olho! @_@ Adoro vocês! <3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *