4 ESTAÇÕES – OUTONO 1
22/08/2018
4 ESTAÇÕES – OUTONO 2
26/09/2018

RESENHA – JACK, O ESTRIPADOR

Bem-vindos, leitores!

Hoje venho com a resenha desse livro:

Sim, capa linda, livro lindo, tudo muito maravilhoso.
É uma coisa que salta aos olhos quando a gente entra na livraria @_@. Eu também não resisti à sinopse de mistério e ao livro lindo e li.

Conta a história de uma moça, de Londres bem na época do Jack O Estripador, que (ignorando praticamente todo mundo que diz que isso é extremamente inapropriado de muitas maneiras) realiza autópsias com seu tio.

Esse tio atende a polícia, fazendo análises forenses, e então a moça começa a ver que os assassinatos do Jack têm pequenas conexões com pessoas a sua volta.

A história se baseia nela (e um carinha que é o par romântico e talz) tentando descobrir quem é o assassino.

Ouvindo assim, parece muito uma história de investigação, ou sei lá (bom, tem uma pessoa investigando, ao menos).

MAS O QUE ME CHOCOU é que, contrariando capa, tema, sinopse e tudo mais…

NÃO TEM DEDUÇÕES, CONCLUSÕES LÓGICAS QUE ENTRETÊM A GENTE EM HISTÓRIAS DE DETETIVE.

Sim, tem pessoas pensando e “deduzindo” coisas, mas é muito mais um frufru de ambientação. Não existe o caminho: evidências > dedução > conclusão. Simplesmente mostra pessoas deduzindo (chutando? @_@) coisas.

 

MAS CALMA.
Talvez eu tenha esperado muito um aspecto de investigação por causa da capa e do tema. Vamos analisar com frieza a história como uma história.

MAS AÍ ACHEI OUTROS PROBLEMAS.
Não sei qual a mensagem que quis ser transmitida (qual “vibe”, se mensagem é uma palavra muito profunda) pela história, porque:

– A mocinha tem toda aquela coisa de querer ser uma mulher forte e independente numa época em que isso não era normal ou apropriado… mas no final das contas, ela é chorona, TENTA ser forte e não consegue e é totalmente escorada no par romântico (que tentaram mostrar como um cara inteligentão, mas como não tem aspecto de dedução, ele não pareceu realmente surpreendente);

– Hã… o assassino é um pouco previsível (pelo menos foi para mim. Tem poucos personagens e na verdade não tem muita opção);

– A protagonista investiga a história toda, mas no final das contas não deduz nada e cai na situação mocinha em perigo @_@ (serião, princesa Peach?);

– DO QUE SE TRATOU ESSA HISTÓRIA?!

Creio que, apesar de não ter me dado com a protagonista (ela tem uma personalidade e comportamento que me irritam), o maior problema foi NÃO ENTENDER DO QUE SE TRATOU A HISTÓRIA.

Toda história está sendo contada porque tem algo a ser contado.
“Essa história conta como um aventureiro conseguiu derrotar um rei perverso”.
“Essa história conta como a menina conseguiu voltar para sua casa”.
“Essa história conta como dois irmãos perdidos na floresta caem nas mãos de uma bruxa e fogem de lá”.
“Essa história conta como uma moça pobre consegue se casar com um príncipe”.

E assim vai.

Nesse livro… parece que… não tem… lógica na linha de história? (Fiquei tão confusa que não consigo nem descrever)

Conta a história de uma moça que tenta ser forte (ela é inteligente, mas não é muito sensata, já que age feito criança), mas acaba se ferrando no final e sendo salva pelo mocinho, mas ganha coisas boas da família por ser independente?! (WTF?!!)

Conta a história de uma moça que tentou investigar os assassinatos do Jack e se ferrou (incrivelmente, eu acho que essa é a frase que melhor define XD).

NO FINAL DAS CONTAS, acabo achando que o gênero que mais se encaixou foi ROMANCEZINHO ROMÂNTICO (é, o gênero que eu não gosto, então pode ter alguma birra em cima disso).

Parece que todo esse negócio de assassinato, ambientação obscura e investigação foi só um cenário para o romancezinho da menininha indefesa e seu mocinho. O casalzinho é muito, muito típico. O tipozinho do cara e talz. @_@

É meio frustrante pegar um livro com uma trama que parece uma coisa e achar um romance mimimi do lado de dentro… TT^TT

MAAAAS, ENFIM.
Apesar de eu ter metido o pau no livro.

Ressalto sempre que gosto não se discute e gêneros são gêneros.
Tem pessoas que vão gostar desse gênero (romancezinho ambientado num lugar e situação diferentes).

Se você é fã de livros desse tipo, SÓ VAI.

EU não gosto do gênero, mas respeito sempre que, se agradou alguém, o livro está cumprindo sua missão. Nenhuma obra precisa agradar todo mundo (a meta é agradar seu público-alvo).

Então comecem a recomendar o livro para as pessoas certas.
MAS DIVULGUEM A PALAVRA DE QUE NÃÃÃÃO ÉÉÉÉ INVESTIGAÇÃÃÃÃO.

 

Não me matem por ser amarga com o gênero supracitado. XD
Até a próxima, leitores!

2 Comentários

  1. Amei quero muito ganhar

  2. Paula Rejane disse:

    Amei a resenha! ❤️

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *